Sempre ouvi falar que após os 40 anos, tenho que fazer aquele exame chato com o urologista. Tenho alguns amigos que fazem somente o exame de sangue. O que devo fazer? Nada mudou na prevenção do câncer de próstata?

Na verdade, as mudanças vêm ocorrendo, sempre se maneira gradual e conforme evidências científicas as respaldam. Vamos então falar um pouco dessas mudanças.


Contudo, antes de entrar nas mudanças, gostaria de chamar a atenção para o termo “prevenção do câncer de próstata”. Ele pode ser interpretado de forma equivocada. Essa prevenção na verdade é o que chamamos de secundária. Ela não visa evitar o aparecimento da doença, mas sim detectá-la em estágios iniciais, quando o tratamento é mais eficaz e a prevenção de desfechos piores podem ser evitados. O melhor termo seria detecção precoce do câncer de próstata.

Câncer de Próstata – quando iniciar os exames para detecção precoce?


Já há algum tempo, as recomendações da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), Associação Européia de Urologia (EAU) e Associação Americana de Urologia (AUA) são oferecer a possibilidade de detecção precoce de câncer de próstata aos seguintes pacientes:

►Todos os homens a partir dor 50 anos;
►Homens com histórico familiar de câncer de próstata a partir dos 45 anos;
►Homens afro-descendentes a partir dos 45 anos.

Como fazer a avaliação?

Em relação à forma de fazer a detecção precoce, não houve mudança significativa. Ela ainda é feita através do exame do toque retal e da dosagem do Antígeno Prostático Específico – PSA. A rotina é fazer anualmente, embora algumas evidências sugiram que se possa conversar com o paciente e, quando o PSA é menor que 1ng/L em todos os homens ou menor que 2ng/dL em homens com mais de 60 anos, possa-se espaçar os exames.


Ouvi falar que o exame de toque é que é bom pra detectar o câncer de próstata. É mesmo?


O PSA é melhor que o exame de toque retal. Entretanto, mesmo sendo melhor, aproximadamente 18% dos cânceres de próstata são detectados por alteração somente no exame de toque. Ou seja, se for feito somente o PSA, um em cada cinco homens com câncer de próstata não serão diagnosticados nos estágios iniciais. Por outro lado, o exame de toque isoladamente consegue detectar cerca de 55% dos tumores de próstata. Sendo assim, a melhor estratégia é realizar os dois exames.
Nenhum exame novo surgiu para auxiliar o diagnóstico do câncer e próstata?
Dois exames entraram no arsenal do urologista para combater o câncer de próstata. A Ressonância Magnética Multiparamétrica de Próstata e o PET/CT com PSMA. Cada nome não?


Contudo esses exames são relativamente caros e demorados. Existem situações específicas em que eles são utilizados. Falarei sobre elas em outra ocasião. Enfim, eles não são utilizados como o PSA e o toque retal, ou seja, como uma triagem em toda a população, pois seria economicamente inviável. Além disso, poderiam levar a procedimentos invasivos desnecessários.
Para não me alongar, falarei sobre como o urologista interpreta os resultados desses exames de triagem em outro texto e, aí sim, comentarei o papel da Ressonância Magnética Multiparamétrica de Próstata. Qualquer dúvida entre em contato ou procure um urologista no IUP.


4 comentários

Meu PSA está alto, tenho Ca de Próstata? | Urologista - Dr. Tiago Aguiar · 1 de julho de 2019 às 16:26

[…] PSA e o exame de toque retal, como mencionei no último texto, são exames de triagem. Portanto eles indicarão uma probabilidade e não uma certeza. Assim […]

Ressonância Magnética para a Próstata | Urologista - Dr. Tiago Aguiar · 5 de julho de 2019 às 19:14

[…] do exame é antes de se realizar a biópsia prostática, isto é, no paciente com suspeita de câncer de próstata pelo PSA e/ou toque retal. Então, se o resultado da ressonância for positivo, realizar uma biópsia de próstata […]

Disfunção erétil - o que é importante avaliar? | Urologista - Dr. Tiago Aguiar · 17 de julho de 2019 às 11:36

[…] o estado cardiológico. Por último, se o paciente tiver mais que 50 anos, mais com 45 anos com fatores de risco para câncer de próstata ou tiver sintomas para urinar, ressalto que é necessária a avaliação […]

Cirurgia Robótica - Uma Realidade no IUP | Urologista - Dr. Tiago Aguiar · 16 de outubro de 2019 às 23:33

[…] em 66 países em todo o mundo, a maioria nos Estados Unidos. Lá, a saber, 98% das cirurgias para o câncer de próstata são realizadas usando o Da Vinci. Hoje ao redor de 43 mil cirurgiões estão treinados para […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *